Programa Polio Plus

 

Até os anos 60, os Rotary Clubs não tinham nenhum projeto além de seus países. Ainda não existiam mecanismos que permitissem ao Rotary International – a associação mundial dos Rotary Clubs – conduzir programas em escala global. Durante os anos 70, o Rotary International começou a buscar uma causa humanitária universal que poderia unir e guiar o seu quadro social rumo ao século 21, um programa onde os sócios pudessem participar não apenas financiando, mas, também, com trabalho voluntário em suas comunidades e ao redor do mundo. A resposta veio em 1979, com a notícia da erradicação da varíola, e do fim da poliomielite nos EUA. Na época, os dirigentes do Rotary International imaginaram ser possível erradicar a pólio no mundo. Lançou-se então o Programa Saúde, Fome e Humanidade ou 3-H (das iniciais em inglês) para imunizar 6 milhões de crianças nas Filipinas, durante 5 anos, juntamente com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde das Filipinas. A iniciativa foi um enorme sucesso. Bolívia, Haiti, Sierra Leone, Marrocos, Gambia foram outros países beneficiados pelo programa 3-H do Rotary.

 

                                         Eliminação da Pólio nas Américas

 

Para lançar o Programa de Eliminação da Pólio na região das Américas, em parceria com a Organização Panamericana da Saúde, em 1985, o Rotary International instituiu o Programa Polio Plus – e o Fundo Polio Plus – com o objetivo de imunizar todas as crianças do mundo até 2005. Até hoje, o Polio Plus é um dos mais ambiciosos empreendimentos humanitários posto em prática por uma entidade privada. O programa serviu como referência para outras iniciativas, atraindo colaborações públicas e privadas na luta contra a doença. A meta de levantar 120 milhões de dólares, na época, foi superada, tendo-se obtido 247 milhões de dólares. Os esforços de imunização nas Américas foram bem sucedidos e a região foi declarada livre da pólio em 1994.

No início, o Fundo Polio Plus foi usado para a compra de vacinas e custeio de atividades dos Rotary Clubs nos países endêmicos. A partir do final da década de 90, para facilitar a participação de outros doadores, o Rotary deixou de financiar a compra de vacinas e passou a custear as operações da OMS e UNICEF, em mobilização social para as campanhas, salários de vacinadores e médicos, e vigilância da doença. As contribuições dos rotarianos para atividades de erradicação da pólio superaram 1 bilhão de dólares. Mais de 120 países foram beneficiados com os recursos do Polio Plus.

 

                                                   Poliomielite no Brasil

 

O Brasil começou a combater a pólio de maneira assistemática a partir dos anos 60. Como consequência, de 1975 a 1979 houve surtos em todos os estados brasileiros, e ocorreram terríveis epidemias no Paraná e em Santa Catarina em 1979. A partir de 1980, sob o comando do Ministro Waldir Arcoverde e do médico epidemiologista carioca, João Baptista Risi Júnior, o país começou a realizar os bem sucedidos Dias Nacionais de Vacinação, preconizados por Albert Sabin – que esteve em visita pelo país na época. Depois da Índia, o Brasil foi o país que registrou o maior número de casos de poliomielite entre 1976 e 1978. O exemplo brasileiro foi importante para convencer a comunidade internacional a lançar o programa de combate à pólio nas Américas.

Em solenidade realizada no Palácio do Planalto, com o Presidente da República do Brasil, José Sarney, em 1986, e o Presidente do Comitê Nacional para a Erradicação da Pólio, o rotariano Archimedes Theodoro, a Fundação Rotária fez a doação de 6 milhões de dólares para a aquisição de vacinas.

Em 1989, o Brasil foi oficialmente declarado livre da poliomielite. E em 1994, em Washington, EUA, a Organização Panamericana de Saúde declarou oficialmente a vitória contra o vírus nas Américas. Podemos nos sentir orgulhos com a conquista – povo brasileiro, Governo Brasileiro, Ministério da Saúde e todos os agentes de saúde do país, e o Rotary. Desde a sua criação, os rotarianos brasileiros doaram mais de 11 milhões de dólares ao Fundo Polio Plus.

 

 

 

Rotary Club Birigui Cidade Pérola ©